Corrija arquivos corrompidos e problemas no HD com o Chkdsk

Velho utilitário da Microsoft continua presente nas versões atuais do Windows para ajudar os usuários a identificar e corrigir erros de gravação de arquivos em discos magnéticos

Por (Model.Autor.Nome) em 01/07/2012


O Check Disk, conhecido pelo acrônimo chkdsk, é um comando do tempo do MS-DOS que tem por objetivo fazer a manutenção dos discos magnéticos, promovendo a correção de pastas e arquivos corrompidos e também identificando e isolando os setores defeituosos da mídia (problemas de hardware).

O comando ainda está disponível no prompt de comando do Windows, bem como continuará ativo na versão 8 do sistema. Seja para apenas checar o status do HD, seja para realmente corrigir arquivos problemáticos, o chkdsk é mais uma ferramenta gratuita que pode auxiliar na resolução de muitos problemas, inclusive contribuindo para a recuperação de dados perdidos.

Vamos conhecer alguns parâmetros para rodar o chkdsk no prompt de comando, agora. Recomendamos que, antes de rodar tal aplicativo, você crie um ponto de restauração no sistema, para voltar ao status anterior do Windows caso as coisas não ocorram conforme o planejado.

O primeiro passo para colocar o chkdsk para funcionar é rodar o prompt de comando detendo as permissões de administrador do sistema.

Clique em "Iniciar > Todos os Programas > Acessórios". Clique com o botão direito do mouse sobre "Prompt de Comando" e escolha a opção "Executar como Administrador".


 

Basicamente, a sintaxe do chkdsk obedece à seguinte lógica:

chkdsk letra do drive a ser corrigido: /opções

Caso você não indique nenhum parâmetro, o chkdsk apenas fará uma varredura no disco e reportará os erros, se existirem. Apresentará, também, informações sobre o volume checado, como tamanho e número de arquivos armazenados.

A seguir, algumas opções admitidas no comando chkdsk e a utilidade delas:

/F - promove a correção automática de erros no disco e permite configurar o programa para rodar toda vez que o computador é ligado;

/V - nos sistemas de arquivo FAT ou FAT32, exibe o nome de cada arquivo e diretório checados;

/R - localiza setores defeituosos do disco e recupera a informação possível de lá (implica o uso do parâmetro /F);

/L:[tamanho em KB] - usado apenas em partições NTFS. Modifica o arquivo de log do chkdsk para o tamanho desejado;

/X - força um volume virtual a ser desmontado antes da checagem e promove as correções necessárias (implica o uso do parâmetro /F);

/I - exclusivo para partições NTFS. Reduz o rigor da verificação, permitindo uma checagem mais rápida, porém mais superficial;

/C - exclusivo para partições NTFS. Reduz o tempo necessário da verificação, eliminando a checagem de intercalação de diretórios (ciclos e vínculos cruzados);

/B - mais uma opção exclusiva para NTFS. Limpa os dados dos setores defeituosos do disco, transferindo-os para grupamentos "sadios" do espaço livre do disco (implica o uso do parâmetro /F);

/scan /foreceofflinefix - para partições NTFS. Identifica os pontos para correção, para executá-las num segundo momento;

/scan /spotfix - para NTFS. Corrige diretamente os erros identificados anteriormente numa checagem de disco;

/scan /perf - Executa uma checagem mais veloz, em partições NTFS, requisitando mais recursos do sistema operacional;

Sdcleanup - muito semelhante à opção /F, elimina a informação considerada lixo, proveniente das correções.


 

 

Para conhecer todos os parâmetros do comando, use a forma: chkdsk /? no prompt de comando.
 




Fonte(s)
Imagens
| URL curta

Comentários ()