Como desinstalar aplicativos do sistema no Android

Aprenda de uma vez como desinstalar aplicativos bloatware do sistema que não são possíveis de serem removidos pelo gerenciador de aplicativos do Android.

Por Ricardo em 05/12/2013


É muito comum você adquirir um smartphone no Brasil por um preço mais em conta custeado por uma operadora de telefonia e atrelado a um plano que você é obrigado a usar. Embora alguns aparelhos sofram bloqueios, uma grande parte é vendido desbloqueado, com intuito de atrair consumidores que não querem ficar limitados a apenas uma operadora e também para se livrar de estoques encalhados.

Seja qual for o motivo, esses aparelhos "de operadoras" trazem alguns incômodos, como aplicativos em grande parte inúteis da empresa ou adicionais como jogos puzzles, utilitários não tão úteis assim, entre outros. Como esses programas são foram escolhidos por você, normalmente a primeira coisa a fazer é procurar desinstalar através do gerenciador de aplicativos do Android. E nessa hora você descobre que não é possível.

O Android 4.0 ICS introduziu um mecanismo que permite desabilitar qualquer aplicativo, fazendo com que eles desapareçam da gaveta de apps e não recebam atualizações nem consumam recursos. Tudo muito bom, tudo muito bem, mas ainda sim o software não desejado continua lá, ocupando memória interna do dispositivo que poderia ser preenchido com algo que te agradesse mais.

Existe uma forma de remover esses programas inconvenientes conhecidos como bloatware (do verbo inglês bloat = inchar), ou em outras palavras, softwares inúteis que só ocupam espaço. Você pode também convertê-los para aplicativos comuns e obter de volta o poder de escolha que lhe foi tirado. Claro que para fazer isso (e não poderia ser de outra forma), deverá possuir o aparelho rooteado. Precisando de informações sobre isso? Clique aqui.

Removendo aplicativos irremovíveis

Antes de proceder, leia isso:

Os processos aqui descritos devem ser efetuados com todo o cuidado possível. O Superdownloads não se responsabiliza por qualquer dano ou perda, material ou imaterial, como arquivos pessoais ou dados de aplicativos, causado por erros na execução dos procedimentos. Você deverá assumir todos os riscos ao efetuar os procedimentos abaixo descritos.

Primeira coisa a fazer antes de qualquer coisa

Para começar, nunca é demais dizer: Faça backup! Salve tudo que puder para o seu computador, como suas fotos, vídeos, e arquivos do cartão SD ou da memória interna. Para facilitar, existem programas para isso, como o Sync Droid aqui ou use o Droid Manager aqui, que embora não seja específico para isso, possui a função de backup.

Caso os programas citados são o satisfaçam, pode usar o método mais antido e simples para realizar um backup. Conecte o smartphone ou tablet na porta USB e copie e cole os arquivos para uma pasta no seu computador. Simples assim, sem qualquer mistério.

Você também pode fazer backup dos aplicativos instalados e até mesmo dos dados de configuração. Há aplicativos para isso, como o Titanium Backup aqui, My Backup Pro aqui ou o Nandroid Backup aqui, que também possui uma função de backup dos aplicativos. Todos eles exigem root no sistema, questões óbvia.

Os aplicativos citados acima irão salvar as informações no cartão SD ou memória interna do aparelho, necessitando que posteriormente você copie esses dados gerados para o seu PC. Desnecessário dizer que nem todos possuem garantia de sucesso. Mas você só precisará usá-los se tiver que restaurar o Android do seu aparelho com uma imagem de fábrica, normalmente disponibilizada através do programa fornecido pelo fabricante para o seu aparelho.

Realizando o processo manual

Apesar de existirem aplicativos para Android que realizam esse processo facilmente, como o Uninstall Master aqui, o objetivo desse tutorial é ensiná-lo a fazer tudo manualmente, sem depender de facilitadores e para que aprenda a resolver o problema sozinho. Saber nunca é demais e nesse caso, você vai perceber que desinstalar aplicativos do sistema ou converter para aplicações normais é bastante simples.

Você vai precisar de um gerenciador de arquivos para navegar pelos aplicativos do sistema, mas não é qualquer um. Você precisa usar um aplicativo desse gênero com suporte a root e que permita navegar e modificar arquivos do sistema. Usamos o Solid Explorer aqui para a explicação, que é pago, mas você pode testá-lo gratuitamente por 14 dias. Claro que você poderá optar por qualquer outro de sua preferência.

Há dois lugares principais onde o Android armazena os aplicativos. Aqueles que você instala através da Google Play ficam localizados no diretório /data/app, e os pertencentes ao sistema, aqueles que você não pode desinstalar, ficam em /system/app. E você não está vendo errado! O Android segue a estrutura do Linux (e Unix em geral) em que diretórios são representados através da "barra" (/), em oposto ao Windows que emprega o uso da contrabarra (\) para o mesmo fim.

Posto isso, qualquer aplicativo que estiver dentro da pasta /system/app são pertencentes ao sistema. Nesse diretório é que estão os aplicativos do Google e outros pertencentes a estrutura do sistema e aqueles do próprio fabricante, como launchers, widgets, players de vídeo e música etc. É aí que reside o perigo. Como tudo está misturado, deve-se tomar todo o cuidado para não excluir algum arquivo que é necessário para o funcionamento do sistema.

Como descobrir o que pode ser excluído?

Se há alguma dúvida a respeito do que pode ser excluído, o próprio Android a partir da versão 4.0 permite fazer um teste. No gerenciador de aplicativos do sistema, é possível desativar programas. Contudo, quando o app é do próprio sistema, o botão Desativar aparece desabilitado. Assim, na dúvida, você sempre poderá consultar o gerenciador de aplicativos para saber o que pode ou não ser deletado. Segue abaixo um exemplo.

Note que na imagem da esquerda, o botão Desativar está desabilitado, enquanto o da direita é possível desativar. Assim, sabemos que o app Samsuns Link pode ser excluído. Apesar dessa ser uma forma de saber o que pode ou não excluír, não é 100% infalível. Mesmo um aplicativo que não pertença diretamente ao Android, pode ser necessário para o funcionamento das funções inseridas pelo fabricante. Você pode desabilitar para ter certeza de que não provocará algum problema com as demais funções do sistema. Você pode desabilitar para ter certeza de que não provocará algum problema com as demais funções do sistema.

Desinstalando aplicativos do sistema

Após a escolha do aplicativo alvo e a averiguação de que desabilitando-o, nada acontece às outras funções, você pode então liberar aquele espaço que o app está ocupando na memória interna. Abra o Solid Explorer e navegue até a pasta /system. Faça um backup para o cartão SD de todo o diretório /app. É importante para poder desfazer recuperando o aplicativo.

Depois do backup, entre no diretório (/system/app) e localize o aplicativo pelo ícone, pois o nome será diferente do que aparece no gerenciador. Depois, toque e mantenha o dedo sobre o app até aparecerem as opções do Solid Explorer e selecione Apagar.

Pronto. Basta fazer isso e o aplicativo está fora do seu smartphone. Só é necessário reiniciar o sistema para completar a ação. Contudo, se o aplicativo tiver sofrido atualizações, estas estão armazenadas no diretório /data/app, e mesmo assim, o porgrama continuará aparecendo, mas já é possível ser removido do sistema pelo gerenciador de aplicações do próprio Android.

Recuperando um aplicativo deletado

Ok, você deletou um app e se arrependeu porque descobriu mais tarde que outros apps dependiam daquele que deletou. Abra o Solid Explorer, navegue até o seu backup, selecione o programa que deseja recuperar e copie (toque e mantenha até aparecerem as opções). Navegue até a raiz do sistema Android, e no diretório /system/app e cole (toque no botão Ações, depois em Colar).

Até aqui, você simplesmente moveu o arquivo de backup para o sistema, mas isso não é o suficiente. É necessário corrigir as permissões do aplicativo para que o sistema possa usá-lo. Toque no ícone e mantenha até aparecerem as opções do gerenciador de arquivos. Selecione Propriedades, role a tela até a divisão Atributos e clique no botão Mudar. Uma caixa de configurações de permissão aparece. Deixe conforme a imagem abaixo.

As permissões de aplicativos sempre ficam como 644 (representação hexadecimal), ou na "string" -rw-r--r--, que você vai definir marcando as caixas de seleção conforme a imagem acima. Os valores referentes em hexadecimal e na string acompanham as mudanças. Aplique tocando no botão OK e pronto! Após isso, basta reiniciar o aparelho e o aplicatiuvo já poderá ser usado novamente.

Convertendo aplicativos do sistema para apps comuns

Esse é um processo simples que consiste em basicamente mover (recortar e colar) os aplicativos do diretório /system/app para /data/app. Você deve tomar cuidado para retornar a raiz (/) do sistema de arquivos do Android ao trocar de um local a outro para não errar. Após isso, basta corigir a permissão do arquivo para 644 (-rw-r--r--), como dito no tópico acima.

Certifique-se de converter apenas aplicativos que podem ser excluídos. Não mexa em apps necessários ao funcionamento do Android. Desnecessário dizer para você não fazer qualquer mudança em outros arquivos sem conhecimento prévio. Após convertido, é possível desinstalar a qualquer hora pelo gerenciador de aplicações do Android. Assim, se não gostar ou se for o caso de um jogo que antes era do sistema, você poderá desinstalar após terminar o jogo, liberando espaço interno.

Convertendo aplicativos comuns em apps do sistema

O inverso também é possível fazer. Aplicativos que você gostaria de impedir a remoção podem ser convertidos para o sistema. Contudo, não é todo aplicativo que funciiona após a conversão. Para converter, basta mover o arquivo desejado da pasta /data/app para /system/app, corrigindo as permissões após movê-lo e reiniciando o celular para concluir o processo. Se não der certo, basta retornar o app para seu local de origem.

Corrigindo problemas de fechamento

Converteu o arquivo e não funcionou (o aplicativo fecha forçadamente)? A solução para isso pode estar no cache dalvik. Na pasta /data/dalvik-cache estão todos os arquivos criados pelo processo natural do Android. Tanto arquivos de sistema quanto do usuário (desinstaláveis) possuem seu respectivo cache. Entre no diretório citado e procure pelo nome do app, que deverá ser o mesmo do que está no diretório /system/app ou /data/app.

Você pode filtrar o nome através do Solid Explorer tocando no botão Filtro. Escreve parte do nome e fique atento para excluir o arquivo correto. Pode excluir o arquivo sem medo, pois um novo é gerado caso esteja faltando sempre que o sistema é reiniciado. Não é necessário fazer backup.

Depois de excluir o cache dalvik do respectivo app e reiniciar o aparelho, tente executá-lo novamente. Se ainda persistir o erro de fechamento forçado, tente excluir os dados do aplicativo pelo gerenciador de aplicações do Android. Verifique novamente as permissões se estão corretas no diretório onde encontra-se a aplicação.

Esses métodos resolvem a maioria dos problemas, tanto para conversões para sistema quanto para usuário (apps desinstaláveis). Mas se mesmo assim ocorrer erro, é porque o aplicativo não permite ser convertido (trocar seu local de origem) e infelizmente não irá funcionar. Trata-se de uma limitação na estrutura do aplicativo.

| URL curta

Comentários ()


© Copyright 1998-2014 Grupo NZN | A empresa Privacidade Termos de uso Trabalhe conosco RSS Contato